Restaurante Vegetariano Grindélia
18 de September de 2018
Restaurante Vegetariano Grindélia
19 de September de 2018
Mostrar todos
Ômega 3 e seus benefícios

O ômega 3 é uma gordura saudável e um dos nutrientes mais estudados. Representa uma família de ácidos graxos essenciais (ácidos gordurosos) que não podem ser fabricados no nosso organismo, sendo que eles se dividem em três tipos: ácido alfa-linolênico (ALA), ácido eicosapentaenoico (EPA) e o ácido docosahexaenoico (DHA). O Ômega 3 é um grupo de ácidos graxos poli-insaturados, que são o tipo mais saudável de gordura.

Os ácidos graxos podem ser descritos como unidades básicas e fundamentais na formação das gorduras. As gorduras são importantes para que o nosso organismo funcione de maneira adequada e saudável.

 

SIGNIFICADO DE DHA, EPA E ALA

Os ácidos graxos EPA e DHA são ômega 3 encontrados em grandes quantidades em peixes como a sardinha e o salmão. Já o ácido graxo ALA é um ômega 3 encontrado em carnes, óleos vegetais como o de canola e o de linhaça, soja, diversos tipos de nozes e sementes como a chia e o cânhamo.

O ALA é convertido em EPA e DHA pelo nosso organismo, um processo importante, uma vez que esses dois tipos de ácidos graxos são fundamentais para o bom funcionamento e manutenção do nosso organismo.

 

ALGUNS ALIMENTOS RICOS EM ÔMEGA 3

Além dos peixes (atum, bacalhau, cação, salmão, sardinha e truta), outros alimentos são ricos em ômega 3, como: azeite de oliva, linhaça, chia, nozes, amêndoas, cereais, leguminosas, algas, brócolis, espinafre, rúcula, gema de ovo, abacate, couve-flor.

Os suplementos de ômega 3 devem ser consumidos somente após a orientação médica ou de nutricionista e são orientados caso a pessoa não consiga adquirir o ácido graxo por meio da alimentação.

 

ALGUNS BENEFÍCIOS DO ÔMEGA 3

  • Protege o coração: o EPA regula a atividade das plaquetas sanguíneas, evitando coágulos de sangue, que podem levar a um AVC ou infarto. O EPA também reduz os níveis de triglicérides, um tipo de gordura que é ruim para o organismo quando está elevada. Já o DHA ajuda a evitar arritmias cardíacas, estabilizando a atividade elétrica no coração. Além disso, o músculo cardíaco se torna mais eficiente, a demanda de oxigênio é reduzida, a frequência cardíaca é melhor controlada e os riscos de arritmias são reduzidos.
  • Diminui o colesterol: ômega 3 promove o aumento dos níveis do colesterol HDL (colesterol bom) e a diminuição dos níveis de colesterol LDL (colesterol ruim). Quando o LDL está em excesso, há maior risco dele se depositar nas artérias e provocar o seu entupimento levando a doenças cardiovasculares, como hipertensão, aterosclerose, infarto e derrame cerebral. Ele também consegue reduzir os níveis de triglicérides do sangue.
  • Protege o cérebro: o ômega 3 age na formação da bainha de mielina, um componente dos neurônios. Assim, ocorre a melhora do desempenho cognitivo, da atividade cerebral e comunicação entre as células do cérebro. O ácido graxo também conta com efeito vasodilatador e por isso ocorre o aumento do aporte de oxigênio e nutrientes.
  • Regula a pressão arterial: o ômega 3 é capaz de evitar a formação das placas de gordura na parede das artérias e garantir a flexibilidade das veias e artérias, afastando o risco de doenças como hipertensão, aterosclerose, infarto e derrames.
  • Alivia os sintomas da artrite reumatoide: O consumo do ômega 3 contribui para o alívio dos sintomas desta doença porque ele possui ação anti-inflamatória. Este ácido graxo funciona como um bloqueador de enzimas que produzem o processo inflamatório.
  • Auxilia no tratamento da depressão: pessoas portadoras de depressão, geralmente possuem níveis baixos de ômega 3 o que pode ocasionar a diminuição do número de funções de neurotransmissores e receptores. A ingestão de ômega 3 melhora a fluidez das membranas que encapam as células nervosas e aumenta a produção de diversos neurotransmissores como serotonina, dopamina e noradrenalina, melhorando assim o humor e o bem-estar.

 

CONTRAINDICAÇÕES E EFEITOS COLATERAIS DO SUPLEMENTO

Ômega 3 é contraindicado para pessoas com problemas de coagulação, como os portadores de hemofilia, pois há o risco de hemorragia já que o ácido graxo deixa o sangue mais fluido. Além disso, o óleo de peixe, quando consumido em doses elevadas, é o responsável pelo possível aumento do risco de sangramentos, em especial por parte dos pacientes que apresentam problemas de coagulação e também dos que ingerem medicamentos que controlam a coagulação.

Pessoas com próteses cardíacas também devem evitar o consumo. Quanto a gestantes, a suplementação pode ser feita, desde que com as doses corretas, pois o excesso do ômega 3 pode causar problemas no feto.

Doses elevadas podem ocasionar efeitos colaterais negativos. Dentre os mais comuns, encontram-se a sensação de náuseas, cólicas abdominais, diarreia, excesso de gases no intestino e até hálito com cheiro de peixe, motivos responsáveis pelo abandono do consumo de suplementos por muita gente.

 

PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA OU DE NUTRICIONISTA PARA A INGESTÃO DE SUPLEMENTOS COM ÔMEGA 3. ESCOLHA SEMPRE PRODUTOS DE QUALIDADE E PEÇA ORIENTAÇÃO AO FARMACÊUTICO.

Veja também: Privação de sono: sintomas e consequências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *