Notícias Recentes

Nosso Blog

Conheça o nosso blog, que conta com dicas de como manter uma vida saudável a partir de uma alimentação equilibrada, exercícios físicos e prevenção de doenças por meio de tratamento personalizado. Confira os artigos publicados e siga as dicas da Grindélia!
21enzimas-digestivas-grindelia-rio-preto-min_Easy-Resize.com_-1200x800.jpg

Enzimas digestivas são proteínas de ocorrência natural que atuam acelerando as inúmeras reações bioquímicas no trato gastrointestinal (TGI). Essas enzimas ajudam a quebrar os alimentos ingeridos, criando os nutrientes de que o corpo necessita.

As enzimas digestivas promovem uma digestão ideal, de modo que aproveitamos o máximo os nutrientes que ingerimos. E, ao estimular uma digestão saudável, as refeições ficam mais confortáveis.

Diversos fatores podem interferir com a produção de enzimas digestivas e afetar nossa digestão, incluindo a falta de mastigação, distração e estresse durante as refeições, uso de certos medicamentos, declínio da produção endógena com o envelhecimento, fisiopatologias e o consumo de alimentos altamente processados.

Em resumo essas são as razões pelas quais deveríamos fazer uso das enzimas digestivas

  • Decompõem macronutrientes dietéticos, otimizando a nutrição
  • Ajuda na digestão de alimentos que contêm gorduras, proteínas e/ou carboidratos.
  • Alivia o desconforto digestivo após grandes refeições.
  • Auxilia na digestão de lactose em casos de intolerância a lactose.

 

ALFA-AMILASE

Alfa-amilase é a enzima que catalisa a quebra de carboidratos, como o amido, em cadeias menores, os dissacarídeos, e posteriormente, no monossacarídeo glicose, mais facilmente digerido e absorvido.

 

ALFA GALACTOSIDASE

A alfa galactosidase é uma enzima necessária para a digestão de alimentos ricos em amido, como feijão, brócolis, couve de Bruxelas e repolho, dentre outros. Auxilia na digestão de carboidratos complexos, como a amido, e reduzindo a formação de gases e flatulência.

 

BROMELINA

(Fonte: Ananas comosus)

A bromelina é complexo enzimático proteolítico encontrado nas diferentes partes das plantas da família Bromeliaceae, da qual Ananas comosus L., o abacaxi, é a fonte mais conhecida. Através da sua ação enzimática, auxilia no processo digestão de proteínas.

 

LACTASE

A lactase ou beta galactosidase é uma enzima que digere a lactose – o principal carboidrato presente no leite e derivados – em glicose e galactose no trato gastrointestinal. Indivíduos com insuficiência na produção dessa enzima apresentam manifestações relacionadas à intolerância à lactose, como dor abdominal, inchaço, diarreia e flatulências, quando consomem leite e/ou seus derivados.

 

LIPASE

A lipase é uma enzima essencial para a digestão de gordura, atuando em conjunto com os efeitos de emulsificação dos sais biliares liberados pela vesícula biliar. Quando há insuficiência na produção da lipase, o metabolismo de lipídios pode estar comprometido e se manifestar em indigestão e esteatorreia. Assim, a suplementação de lipase reduz os sintomas como desconforto gástrico e gases após refeições ricas em gordura.

 

PANCREATINA

A pancreatina é um complexo enzimático produzido no pâncreas de mamíferos, contendo principalmente amilase, lipase e protease, que por sua vez atuam na digestão de amido, gordura e proteínas. É utilizada em condições nas quais há insuficiência enzimática pancreática, comprometendo a digestão.

 

PAPAÍNA

A papaína é uma enzima com ação proteolítica e anti-inflamatória, obtida do mamão (Carica papaya). Auxilia no processo digestivo promovendo a dissociação de proteínas em moléculas mais simples passíveis de serem absorvidas.

 

PEPSINA

A pepsina é uma enzima envolvida na digestão de proteínas, hidrolisando as ligações protéicas em cadeias menores de aminoácidos, promovendo a absorção e o aproveitamento destes nutrientes pelo organismo.

 

PROTEASE

As proteases são enzimas que quebram as ligações peptídicas das proteínas, formando os peptídeos e aminoácidos, mais prontamente biodisponíveis ao organismo.

Ciclo circadiano: o nosso relógio biológico


fibras-insoluveis-grindelia_Easy-Resize.com_.jpg

Já falamos no texto anterior, sobre a importância das fibras para funcionamento adequado do intestino. Neste texto, falaremos sobre as fibras alimentares insolúveis e seu papel para nosso intestino.

As fibras alimentares são resíduos de células vegetais que não podem ser digeridos pelo nosso sistema digestivo, pois são resistentes à ação das enzimas digestivas.

As fibras insolúveis não interagem com a água, permanecendo intacta durante todo o trato gastrointestinal. Elas não são solúveis na água e não formam gel, como as fibras solúveis, mas têm como uma de suas principais funções, o aumento do bolo fecal, o que ajuda o funcionamento do intestino, estimulando os movimentos peristálticos, fazendo com que a comida passe mais rapidamente e com maior facilidade pelo intestino.

Fibras insolúveis agem no cólon proximal diminuindo a fermentação e no cólon distal aumentando a absorção de água, reduzindo o tempo de trânsito intestinal, facilitando e agilizando a eliminação fecal. As fibras insolúveis ainda estão relacionadas com a prevenção do câncer no intestino, sendo capazes de reter substâncias tóxicas ingeridas ou produzidas no trato gastrointestinal durante o processo digestivo. Ainda, reduzem o tempo do trânsito intestinal e o tempo de contato da superfície intestinal com substâncias mutagênicas e carcinogênicas.

As fibras insolúveis estimulam o funcionamento intestinal, diminuindo as chances de constipação intestinal e suas complicações secundárias, como hemorroidas, diverticulose e outras patologias intestinais.

Em alguns casos de prisão de ventre crônica ou mesmo diarreia, pode ser necessário usar suplementos a base de fibras que irão ajudar a regular o trânsito intestinal. Esses suplementos podem ser encontrados em supermercados, farmácias e lojas de produtos nutricionais, e normalmente são apresentados na forma de cápsulas ou pós para diluir em água, chá ou sucos.

Essas fibras provocam o aumento do bolo fecal e garantem maior fluidez às fezes. Como principais fontes de fibras insolúveis, podemos citar os cereais integrais, farelo de trigo, mamão e casca de outras frutas, milho, verduras folhosas (alface, couve, rúcula, espinafre), feijão, abóbora, frutas secas. As fibras insolúveis incluem celulose, algumas hemiceluloses e lignina.

A maioria dos alimentos ricos em fibras apresenta 1/3 de fibras solúveis e 2/3 de insolúveis, fazendo com que a segunda seja mais abundante na alimentação.

Qual a quantidade diária recomendada de fibras alimentares?

As recomendações de ingestão de fibras são ainda bem variadas e a diversificação da alimentação é de suma importância para uma rotina considerada saudável.

É importante ressaltar que se deve consumir alimentos ricos nos dois tipos de fibras (solúveis e insolúveis), pois cada uma delas apresenta singularidades importantes para a manutenção do corpo humano. Uma alimentação baseada em cereais integrais, frutas, verduras e leguminosas é a ideal e deveria ser adotada por todos.

Não se esqueça de procurar ajuda de um nutricionista ou médico que possam auxiliá-los a se alimentar da melhor forma de acordo com suas individualidades.


Corrida_Emagrecer-1200x800.jpg

Perder peso não é fácil. Além de força de vontade é preciso evitar alguns erros na época da dieta. Confira abaixo, os 7 erros mais comuns praticados por quem quer perder peso:
Ter pressa para perder peso: não fique apressado para emagrecer. É necessário perder peso de maneira gradativa e reeducar sua alimentação. Não faça dietas restritivas e não tire nutrientes da alimentação.


Open chat
1
Olá, como podemos ajudar?
Powered by